15 de fevereiro de 2009

Reckless



Reckless definitivamene é um clássico. O filme de 1935, intitulado "tentação dos Outros" aqui no Brasil, é um drama musical contagiante e à frente do tempo.Mona Leslie (Jean Harlow) é uma dançarina da Broadway, trabalhadora e querida por todos. Ned(William Powell) e Bob(F.Tone) são seus dois admiradores que a acompanham sempre. Ned é o agente de Mona e Bob é um ricasso que sempre vai assistir seus espetáculos. Mona,porém, se apaixona por Bob e os dois planejam se casar.


O filme, de musical passa a drama. Harlow é humilhada pelo pai de Bob, que não aceita a união do filho com uma dançarina; ao invés disso preferia que ele se casasse com Jo, que seria "de sua classe".Bob então, casa-se com Jo, sob pressão de seu pai; mas na cerimônia da união, ao ver Mona, ele se descontrola e as coisas se complicam. Completamente Bêbado, tenta atacar Mona e todos resolvem levá-lo embora. Infeliz com o casamento, Bob se mata com um tiro em seu quarto. A ex-atriz, agora está só, com um filho recém nascido da sua verdadeira paixão que se suicidara. Incriminada pela imprensa como autora do crime, apenas para ficar com a fortuna, Mona recusa o dinheiro oferecido pelo pai de Bob. Mãe solteira, Mona decide criar o menino longe da família de Bob e começa uma luta para voltar com sua carreira. Desprezada pelos produtores ela decide aceitar a ajuda de Ned, ainda apaixonado, e assim ele monta um show para ela.A cena final é emocionante. Harlow sozinha no palco canta para uma audiência que começa a vaiá-la sem parar, ate jogar coisas sobre ela. A atuação de Jean é tão cheia de tristeza e emoção quando sua personagem, chorando, tenta em vão terminar seu número. É extremamente angustiante vê-la tentar cantar debaixo de vaias. Quando uma mulher levanta da cadeira e grita: Assassina! Mona,corajosamente, dá um basta:"Como vocês ousam? Eu não o matei e não aceitei um centavo, se é isso que vocês querem saber. Eu o amei. Tentei dar a ele uma vida feliz mas não consegui. Sua infelicidade era muito grande. Agora, se esta for a última música que cantarei para vocês, me deixem ao menos terminar".


Na minha opinião, Reckless chega a ser bom como musical... mas como drama é magnífico. Mostra ao público uma Jean Harlow diferente da que todos estavam acostumados. Nada de máfias, blondebombshell e dominadora de homens. Agora vemos uma mulher delicada e determinada.


Ao mostrar sua coragem para o público, Mona ganha o respeito da platéia e, ainda ferida pela reação das pessoas, com seus olhos cheios de lágrimas, termina a canção com garra e é ovacionada por todos. Pra fechar com chave de ouro, Mona retorna e canta Reckless encostada na lateral do palco. Vemos então, William Powell escondido atrás da enorme pilastra, se declarando a ela, aos sussurros; e ela segura sua mão. A atriz sozinha naquele palco imenso, seus olhos cheios de lágrimas e a sua coragem, emocionam à qualquer um. Perfeito! Harlow, definitivamente, não foi apenas a primeira platinum blonde...