17 de fevereiro de 2010

IV – Vênus, A doçura da Beleza e a voracidade do Amor

Recebemos energias divinas dos astros todos os dias. Nascemos, crescemos, nos movemos, graças a elas; somos feitos disto, vivemos por isto. Uma das energias mais poderosas que rege nossa raça humana, com certeza é a de Venus, o amor. Venus é o próprio amor. Ele está ali, orbitando ao nosso lado, emanando todo o seu poder, frutificando a alegria, confundindo as cabeças, energizando os corações... Como um ímã do qual o ferro não pode escapar.

Afrodite é a personificação desta grande força que nos rege. Se fez aos nossos olhos mulher, para representar a graça e formosura do sentimento, em contraste com a profundidade de seu poder. A Deusa da Beleza e do Amor é delicada, graciosa; em seus olhos vemos brilhar a alegria e sentimos uma sensualidade incrivelmente ingênua através do movimento suave de seus cabelos longos e dourados. Mas, em contrapartida, seu poder é brasa, fúria insana que arde nas profundezas de nossas almas.

Vênus possui uma aparência magnífica. Reluzente, formoso, sua beleza é incontestável, sendo um dos astros mais brilhantes do céu. Conseguimos vê-lo a olho nu e, muitas vezes, o confundimos com uma estrela através de nossa visão terrestre; afinal, seu brilho é inegavelmente semelhante. Entretanto, seu interior é colérico. Como um vulcão gigantesco, Vênus é puro fogo, lava... O planeta mais quente de todo o sistema solar.

Toda a atmosfera que foi expulsa de Mercúrio pelo Sol, se acumula em Vênus, fazendo com que haja um super aquecimento em seu interior, provocando um enorme efeito estufa. Nem mesmo o fato dele demorar mais para girar em torno de si mesmo, do que completar uma órbita inteira ao redor do Sol, o faz esfriar seu lado noturno. Aparentemente belo, profundamente perigoso.

O amor é isso. Enquanto sentimento sutil e nobre, provoca as sensações mais vorazes, bruscas e arrebatadoras. Ternura, graça e beleza que levam, inexplicavelmente, à paixão, ao ardor e à brasa. O amor... Isso que sentimos é apenas uma pequena parte da essência de Vênus, uma pequena e microscópica parte de seu espírito.

Próximo Capítulo: Athenaiê, Mãe Terra

9 de fevereiro de 2010

III – Mercúrio, O Mensageiro de Deus


Os espíritos sagrados estão presentes e influenciam com sua energia toda a nossa atmosfera a milhões de anos. Mas foi por volta do século V, onde tivemos um grande crescimento intelectual, espiritual e filosófico, que se passou a compreender cada uma de suas mensagens e características de uma forma mais clara. Não falemos de mitologia, pois tudo o que vem da mitologia, vem de mitos e lendas, mas sim, de aproximação divina. Os gregos e romanos descreveram cada astro de nosso universo perfeitamente, através da descrição destes espíritos. O sistema solar é o Olimpio, e o Olimpio nada mais é que o Sistema Solar.

Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol; seu nome grego é Hermes, a divindade mais próxima de Deus. Hermes pode ser visto a olho nu de nosso planeta, ao amanhecer, ao entardecer, mas sempre ao lado do nosso Criador. Com um percurso livre, percorre os lugares mais longínquos do Olimpio, levando e trazendo nossas orações, enviando nossos desejos, pensamentos e aspirações até nosso Deus Sol. Sem órbita exata, se afasta e se aproxima, inverte totalmente seu curso, de acordo com sua necessidade, sendo assim, o Mensageiro de Deus.

É por isto que, com tal poder incontestável e toda energia divina que o banha, sua influência rege a todos os viajantes aqui da Terra. Guardião dos peregrinos, Hermes engana todos que perseguem seus protegidos com falsas pistas, elaboradas de forma astuta, através de sua órbita confusa.


Jovem e forte como seu núcleo de ferro, Hermes não se cansa nunca, pois é realmente iluminado e, por mais que esteja tão próximo do calor da luz divina, não se queima. Mercúrio tem um escudo, de fato... Ele não chega a ser tão quente quanto sua irmã Vênus, que está mais longe dos raios brilhosos de Apolo; isto acontece, pois os ventos solares expulsam toda a sua atmosfera, evitando seu super-aquecimento.

Resistente, rápido e perspicaz, sua missão é olhar por todos os que habitam nosso universo e levar nossos mais profundos desejos e sonhos até o Sol. O guardião mais próximo de Deus, sempre voará com suas asas nos pés protegendo e representando a humanidade.

Próximo Capítulo: Vênus, A doçura da Beleza e a insanidade do Amor