17 de agosto de 2011

Natureza Humana

O homem é um ser especial na ordem da criação. É a transição do mundo animal para o mundo mental. O momento em que a alma passa a ter consciência de si mesmo. Nele, encontram-se dois elementos: a brutalidade da matéria e a sutileza da alma. Alcançando um estado de mente mais consciente, Deus concebeu a alma um maior livre arbítrio, habilidades mais amplas de raciocínio, além da oportunidade de ter o conhecimento da existência superior. Entretanto, com todos estes dons, veio também um maior “peso” perante as ações e escolhas da mente. Justamente para que houvesse mais reflexão, mais ponderação e, consequentemente, um aperfeiçoamento das idéias. Tudo para que seja possível a alma, seguir a caminho de uma nova fase, mais livre das experiências grosseiras e animalescas dos mundos anteriores.

O homem é a transição de uma etapa à outra. Ele está entre a matéria e o espírito, pois possui o corpo do animal e a inteligência do espírito. Tudo se desencadeia na natureza. De um simples átomo, à um mineral, às plantas, até mesmo a seres que jamais poderíamos conhecer em nosso estado atual de espírito. A mente evolui. Em cada vida, este nosso princípio inteligente se torna mais consciente de si. E quanto mais consciente, mais é responsável por suas ações, ou seja, mais possui o livre arbítrio à seu favor. Os animais não poderiam agir sobre si com a mesma liberdade que o homem, assim como uma criança não arca com as mesmas conseqüências que um adulto, para a sociedade.

O ser humano é a espécie que está apta para entender os fluxos da natureza, pois foi feita para observar as criações de Deus, compreendê-las e contemplá-las. Se a nossa percepção agora é humana, é porque começamos a ter a capacidade de entender o significado das coisas. Nesta fase de transição o mais importante é equilibrar ambas as habilidades para atingir um novo estado de consciência; por isto, a união do espírito ao corpo. Devemos estudar as leis físicas, pelo domínio da ciência e compreender, da mesma maneira, o espiritual, através das leis morais.

É importante controlar e se livrar, aos poucos, dos apegos terrenos, tais como a vaidade, o egoísmo, a ira e tantos outros, para saber lidar com o lado material. Ter o controle de sua mente, do seu espírito. Mas o que acontece, para a maioria dos humanos, é o oposto. Prova disso, é o desequilíbrio social que vemos em nosso dia a dia. A maioria dos homens alimenta somente o ego, procurando provar sua superioridade ou buscando suprir carências através de coisas supérfluas e passageiras. Consequentemente, quando tais coisas acabam ou se vão, estas pessoas acabam sempre sentindo um enorme vazio. Isto porque, a outra parte, que é a que está precisando de atenção, não é alimentada. É esquecida por simples falta de reflexão e, assim, cada vez mais abandonada.

9 de agosto de 2011

Vida em Outros Mundos


Para se conhecer novas formas de vida, em outras partes do universo, precisamos ter consciência e respeito primeiro pelas espécies do nosso planeta, o que ainda não ocorre entre os homens. Se ele não respeita nem seu semelhante, como estaria preparado para enfrentar uma espécie 'desconhecida'? É uma questão de elevação intelectual completa (física e espiritual). Deus sabe o que faz. obviamente existem vidas mais primatas, menos evoluídas em outros mundos pelo espaço... Mas se assim ainda são, não estão preparadas para sair de seu planeta. Se seres conseguem nos visitar é sinal q têm um intelecto mais evoluído (em todos os sentidos, material e moralmente). Por estes motivos, acredito q não é o suficiente evoluir a tecnologia: é preciso também elevar a moral, a consciência, ou seja, o espírito. O espírito é a consciência, nossa mente. Tanto o é que, nosso estado mental é, consequentemente, nosso estado espiritual. A aceitação espiritual é a expansão da sua mente. Isto porque, todas as suas idéias serão aproveitadas neste plano por outros indivíduos ou em outros planos por sua própria consciência. Já ouvistes dizer que tudo é reaproveitado no espaço? As coisas não simplesmente acabam. É o ciclo natural da existência, basta observar. Do mesmo modo que nós estudamos as bactérias, outros seres podem nos estudar... E não há nada demais nisso, qd se tem uma consciência evoluída e se respeita o espaço do outro ser.


Roberta Cortês