13 de fevereiro de 2013

Leis manipuladoras auxiliam no desvio de verbas


Quem realmente observa as leis que são implantadas e associam ao comportamento dos políticos de nosso país, sabe que tudo aquilo que é sancionado tem algum fator de conveniência. Vide a nova lei contra drogas, uma vergonha brasileira, que grande parte da população, como vítima ludibriada, concorda sem perceber o que realmente acontece.

Como a educação e o tratamento de dependentes químicos são muito “caros” para o cofre público, os governantes preferem colocar simples usuários direto na cadeia, sendo que o que estas pessoas deveriam ter é assistência. Todos nós sabemos como é o sistema carcerário no Brasil. Você acha que alguém receberia algum tipo de ajuda na cadeia? Entretanto, é um bom negócio para os governantes, já que, após um sorteio rotineiro para redução de superlotação, uma grande quantidade de presos sai e não volta mais, sempre havendo mais lugares, sem que seja necessário investir nisso.

É algo muito conveniente, para os políticos, colocar um usuário na cadeia: não é necessário investir em educação e em tratamentos específicos, a falha no sistema carcerário se encarrega dos problemas de superlotação e grande parte da população ainda apóia, pois acha que o governo está querendo “punir os vilões”. A lei ludibria aqueles que não enxergam a fundo o problema.

Prender usuário de droga não te beneficia em nada. Com as celas cheias, sempre vai ocorrer liberação de detentos e, por sua vez, o povo ficará eternamente a mercê de bandidos perigosos, soltos nas ruas. Sem falar, é claro, que o problema daquele que é escravo de substâncias ilegais nunca será resolvido. Ele precisa de ajuda, não punição.

Quando os grandões optam pelo caminho mais curto, sobra mais para eles. Fica ainda mais fácil quando o povo apóia, pois se ninguém percebe o trabalho sujo, eles acabam tendo carta branca para encherem ainda mais o bolso com verbas desviadas. Nesse aspecto, não é preciso economizar.

Existe uma nova proposta de lei para drogas que, além de estabelecer critérios mais objetivos que diferenciam traficante de usuário, apóia instituições que cuidam de pessoas que sofrem abuso em relação às drogas. Como haverá uma população mais instruída se o Brasil investe mais em leis de prisão por delitos com drogas do que investe no tratamento de usuários? Você acha que assim o problema seria realmente tratado? Verba existe, mas não é utilizada. Não vamos ajudar a "poupar para o bolso deles" por meio da camuflagem de um problema social, pois assim ele nunca será solucionado. O dinheiro é nosso, pense um pouco mais no que é vantagem aplicá-lo.