2 de novembro de 2013

Consciência Coletiva ≠ Prática

O difícil é tomar essa consciência. Se todos trabalhamos unidos, a coisa flui melhor; com certeza falta amor, logo, pensamento coletivo... Virar e pensar no próximo.... Porque se um deixa de fazer, o outro tem que fazer em dobro. Isso é justo?

Somos donos de toda a responsabilidade sim. E responsáveis por tudo - como deuses. É preciso ter essa consciência, só assim haverá harmonia. Mas isso é algo que vem de dentro, é um desejo natural. Até pensamos assim, mas na prática, torna-se cansativo, precisamos lutar e arriscar até mesmo nossa aceitação, pelo justo.

A maioria livra-se da responsabilidade, é mais confortável... passando a mão na própria cabeça. Porém, isso legitima que suas coisas já são suficientes e por isso, você acaba deixando de fazer - por achar que está certo, por ser justo apenas com você.

Eis que você deixa de pensar no todo; e é exatamente isso que faz você se tornar uma bactéria - afinal, você deixa de fazer, por achar que está "fazendo muito". Você deixa de fazer, por achar que não está certo. Que o mundo é injusto, apenas com você. Nesse jogo, a carga vai toda para o próximo, sem que você perceba. Você fica bem, já seus semelhantes, com as mãos calejadas... em troca do seu conforto.